Imprensa

Release Cultural

ABORÍGINE

Primeiro finalista e vencedor do Premio Tom Jobim de música do gênero Hip Hop, festival nacional de novos talentos promovido pelo Sesc. Este é o trabalho artístico e social desenvolvido e fundado pelo Mestre de Cerimônia conhecido como Markão Aborígine.

A palavra aborígine é oriunda do latim, ab – desde e origin – início, ou seja, desde o início. Em outras traduções, raiz e natural da terra. Logo as canções deste expõe em cada letra, em cada música maturidade e consciência política e de local, fomentando o conhecer e fortalecimento de nossas raízes; vencendo a barreira do denuncismo e propondo alternativas através do Rap e principalmente da militância social.

Markão, que além de Rapper é ativista social e educador popular, onde por 03 anos fora Conselheiro Tutelar, também atuou na fundador da Frente Candanga de Hip Hop Contra a Corrupção, que nas eleições de 2010 desempenhou papel importante na conscientização do voto da juventude periférica, e também fundou a ONG Coletivo ArtSam, que desenvolve ações culturais e sociais na cidade de Samambaia.

O trabalho é apresentado em dois álbuns já lançados. O Primeiro chegou às ruas em Julho de 2009 com o título: Dia e noite. Dia açoite. Noite fria, e com este, Aborígine é um dos principais e mais atuantes grupos de Rap da capital do país.

Se apresentando nos maiores festivais da capital como o BSB Rap Festival, Hip Hop do Cerrado e Hip Hop Contra o Crack, bem como destaque nos Festivais de música popular de Samambaia, onde por 02 anos consecutivos recebeu prêmios de Melhor letra e Originalidade, e em 2009 ficou com a terceira colocação dentre mais de 60 artistas inscritos.

Com versatilidade musical, intervenção poética e shows em formato eletro - acústico, Aborígine já se apresentou em inúmeros estados como São Paulo, Rio de Janeiro - participando do maior festival de Hip Hop da América Latina - Hutuz, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraíba, e em Belém do Pará onde dividiu palco com o grupo Argentino Actitud Maria Martha, Goiás e Pernambuco.

Tal trabalho teve início em 1998, enquanto o então aluno do ensino fundamental da rede pública de ensino do Distrito Federal, a convite de professoras transformava trabalhos escolares em poesia, herança poética de um avô repentista. De lá até aqui foram palcos, sorrisos, alegrias e conquistas.

Em julho de 2010, chega as ruas o segundo álbum do Aborígine, intitulado 'A vida em poesia' sendo este um CD somente de declamação, tornando-se o primeiro Rapper a gravar um CD de poesias. Este foi distribuído em Saraus da cidade.

Aborígine é formado por Markão - Vocal, DJ Liso, Henrique QI – Vocal, Glauber – Vocal, Eduardo Kalango - percussão e Rodrigo Misquita - Backing Vocal e Violão. Vem ocupando espaço de vanguarda no ativismo dentro do Hip Hop na capital, e se afirmando com um dos principais projetos candangos.

Segundo o Rapper GOG, um dos maiores artistas do Hip Hop brasileiro: “Aborígine é um dos trabalhos e MCs mais completos do Distrito Federal”, para DJ Raffa, maior produtor musical do gênero “o comprometimento de Markão Aborígine com a Cultura Hip Hop no Distrito Federal é um exemplo para todos”.

Crônica Mendes, do grupo A Família já define Markão como: “Atuante no palco e fora dele, uma grande referência para a juventude do DF e Entorno, e de todo Brasil”.

Com o CD “Dia e noite. Dia açoite. Noite fria” o projeto Aborígine percorreu mais de 80 escolas públicas e entidades sociais promovendo oficinas de formação e palestras sobre consumo excessivo de álcool e drogas, cidadania. O álbum vem acompanhado de uma revista que versa sobre o tema e contém poesia, texto e roteiro de oficina, sendo doado a cada instituição onde se promove a palestras.

Dado a legitimidade dos trabalhos e ativismo, o artista Aborígine fora contemplado no Prêmio Preto Ghoez na categoria Escola de Rua, promovido em 2010 pelo Ministério da Cultura.

Em janeiro de 2011 lança o clipe e mini-documentário Meio Século, que recebeu criticas e elogios de todo o país, sendo vinculado aos maiores portais de Hip Hop. Com este fora realizado mostra de mesmo nome em escolas e saraus locais, sendo produzido um DVD e o distribuído gratuitamente. O vídeo traz reflexão sobre os 50 anos de Brasília, apontando suas contradições, bem como faz memoria ao Massacre da GEB e denúncia o abandono do Parque Três Meninas em Samambaia.

Em agosto de 2013 lançou seu primeiro livro intitulado ‘Sem rosto, família ou nome, produzido a partir de materiais recicláveis em parceria com a Editora Popular Abadia Catadora e posteriormente disponibilizado para Download por meio da Editora Poesia em Coletivo, fundada pela artista.

Ainda em 2013 realizou a Campanha Diversidade Viva, por meio de um circuito de Oficinas em Escolas Públicas, onde tratara dos temas Diversidade e Intolerância, utilizando como material pedagógico o Documentário e Vídeo Clipe ‘O Circo’.

Em 2014 realizou o projeto ‘O Canto dos Mártires’, circulando shows e intervenções em seis cidades do DF e Entorno, celebrando a memória e vida de lutadores e lutadoras do povo brasileiro. O Canto dos Mártires também batiza o novo CD que será lançado no segundo semestre.




CRONOLOGIA


1. 2001: Gravação da primeira música em estúdio

A canção ‘O azul de uma caneta’ é ainda hoje, considerada como uma das mais importantes do Rap em Samambaia, sendo que a mesma, junto ao Festival de Música Popular de Samambaia e Santa Maria recebeu o Prêmio de Melhor Letra. Atualmente uma produtora local está produzindo um curta metragem a partir desta música;

2. 2002: Programa R.A.PB na Rádio Rural FM, Paraíba.

Locutor em rádio comunitário do interior paraibano, sendo a primeira programação de Rap da região. Há projeto de retorno a esta programação ainda em 2015.

3. 2004: Programa Militância Hip Hop junto a Rádio Comunitária Água Viva FM.

O programa era semanal e apresentava somente RAP Nacional sempre discutindo temas sociais e relevantes, com entrevistas que pautavam a organização e atuação social do Hip Hop;

4. 2004: Articulação e fundação do Coletivo Militância Hip Hop em Samambaia.

Primeira experiência de organização do Hip Hop na cidade que passou a orientar a grade artística da Rádio, ministração de oficinas de Hip Hop e publicação de fanzines;

5. 2005: Projeto Juventude, cultura e cidadania.

A partir da experiência como presidente do Grêmio Estudantil e Militância Hip Hop passei a ministrar oficinas em combate ao Uso de Drogas lícitas e ilícitas utilizando o RAP como instrumento pedagógico. Ministro esta oficina até hoje em escolas públicas do DF, sendo que tal iniciativa fora contemplada na categoria Escola de Rua do Prêmio Cultura Hip Hop Preto Ghoez em 2010;

6. 2006: Publicação do fanzine Informe Militante

Tinha como objetivo apresentar a história de lutadores e lutadoras do povo, além de questionamentos sobre políticas públicas, como exemplo;

7. 2006: Abertura da Casa do Hip Hop em Samambaia.

Transformei a área de minha casa em um espaço de treino e oficinas de Breaking, onde tornei-me Oficineiro do programa Esporte e Lazer nas Cidades, a partir de convênio entre uma ONG e o Ministério dos Esportes. Ministrava oficinas de Rima e Grafite, além da colaboração de B.boys da região. Em seguida, loquei um pequeno cômodo onde cabiam 06 cadeiras e uma televisão, onde ocorriam oficinas de artesanato e grafite;

8. 2008: Articulação e fundação do Coletivo ArtSam.

9. 2009: Lançamento do CD e Revista ‘Dia e noite. Dia açoite. Noite fria.

Com produção autônoma e lançado junto a uma revista o álbum foi um destaque no Rap brasiliense, possibilitando apresentações em grandes festivais. A partir dele tornei-me conhecido não apenas pela militância, mas musicalmente;

10. 2010: Prêmio Cultura Hip Hop – Preto Ghoez.

A partir da realização de oficinas em escolas públicas e entidades sociais e a publicação de Revista, cujo conteúdo continha o roteiro desta oficina e texto de aprofundamento, fui contemplado na categoria Escola de Rua, premiação que motivou a continuidade do projeto e surgimento de outras, como o Cineclube Câmbio Negro e o Circuito MeioSéculo;

11. 2011: Circuito Meio Século.

Produção de minidocumentário e vídeo clipe que denuncia as contradições de Brasília, a capital da esperança. Com este material foram realizados vídeo-debate e palestras sobre o Massacre da GEB e realidade social de Brasília em inúmeras escolas e Saraus da cidade. O material encontra-se disponível na Internet. A partir desta experiência fundei o Cineclube Câmbio Negro, que passou a exibir quinzenalmente filmes e documentários em ruas e praça da cidade. É realizado em parceria com o Coletivo ArtSam;

Minidoc.:http://youtu.be/duRaW4Cub_Q
Vídeo clipe: http://youtu.be/e9bdXcNXN1Q

12. 2011: Poesia em Coletivo.

Distribuição de poesias em Estações do Metro e Paradas e ônibus. Realização de oficinas e 1º Encontro de Literatura Marginal do DF em parceria com o Coletivo ArtSam;

13. 2012: Prêmio Tom Jobim de Música.

Terceiro colocado neste festival nacional de novos talentos, sendo o primeiro artista do RAP brasileiro a vencer;

14. 2013: Campanha Diversidade Viva.

Realização de oficinas sobre Intolerância e Preconceito em escolas públicas do DF, produção de Minidocumentário e Vídeo Clipe ‘O Circo’. Lançamento de camisetas temáticas com os dizeres Machismo Mata, Racismo Mata, etc.

Minidoc.: http://youtu.be/oDKS7TxVOnk
Vídeo clipe: http://youtu.be/xNfplLuSCws

15. 2013: Livro Sem rosto, família ou nome.

Primeira obra lançada por meio do projeto Poesia em Coletivo, fora disponibilizada em blogue e comercializada em E-book, quebrando assim monopólio de editoras. O livro fora lançado posteriormente pela Editora Popular Abadia Catadora, num trabalho desenvolvido pelo Ponto de Memória da Região.

Link: http://semrostofamiliaounome.blogspot.com.br/

16. 2014: Projeto O Canto dos Mártires.

Circulação de shows em 06 cidades do Distrito Federal, fazendo memória a mártires e lutadores e lutadoras do povo.

Link: http://youtu.be/Ffyu8G-K0Fk

17. 2014: Cria a ‘Editora Popular Poesia em Coletivo’.

18. 2014: Livro ‘A favela como ninguém viu’.

Segundo lançamento do projeto Poesia em Coletivo, firmando assim, o mesmo como uma editora popular.

19. 2015: Lançamento do videoclipe ‘Teresas’

Link: https://www.youtube.com/watch?v=VfpI09saw50



DISCOGRAFIA

- 2006: Single ‘Coisas que sempre quis dizer’
- 2006: Blog www.aboriginerap.blogspot.com
- 2009: CD e Revista ‘Dia e Noite. Dia açoite. Noite Fria’
- 2010: CD ‘A vida em poesia’
- 2010: Single ‘Meio Século’
- 2011: Vídeo Clipe e Mini Documentário ‘Meio Século’
- 2012: Single ‘O Circo’
- 2012: Single 'O Chafariz' e Série Retratos do Abandono
- 2012: Single 'Andares'
- 2013: Clipe e Documentário 'O Circo'.



CONTATOS

Fone: 3209 6711 e 9602 6711
E-mail: contatoaborigine@gmail.com
Site: www.aboriginerap.blogspot.com



LINK’S ÚTEIS

- Blog: www.aboriginerap.blogspot.com
- Palcomp3: www.palcomp3.com.br/aborigine
- Soundclound: https://soundcloud.com/aboriginerap
- Youtube: www.youtube.com/canalaborigine
- Facebook: http://www.facebook.com/markao.aborigine




PRINCIPAIS APRESENTAÇÕES


- Vencedor do 1º FestCem – Festival de música escolar de Taguatinga em 2001;
- Grito dos excluídos em 2004 e 2005;
- Feira de economia solidária de 2006;
- 1º Fórum de juventude do Distrito Federal em 2006
- Encontro de formação Hip Hop Educação Cidadã em 2006, 2007 e 2008;
- 1º, 2º e 3º Festival de arte e cultura de Samambaia;
- 4º Festival de música popular de Samambaia em 2008, onde recebe Prêmio de originalidade e melhor letra com a música “O azul de uma caneta”;
- Fórum Social Mundial de 2009 em Belém do Pará;
- BSB Rap Festival 2ª Edição em 2009;
- Prêmio Hutuz 2009, maior festival de Hip Hop da América Latina;
- 4º Festival de música popular de Santa Maria em 2009, recebe Prêmio de Melhor Letra;

- 5º Festival de música popular de Samambaia em 2009. 3º colocado dentre mais de 70 bandas inscritas e vence nas categorias Originalidade e Melhor letra, interpretando a canção ‘Adolescência em retratos’;
- Câmara Perto de você – Programa da Câmara legislativa em 2009
- Festival Rap Popular Brasileiro 2009, onde garante a 2ª colocação dentre 38 grupos inscritos;
- Campanha Educativa do Metrô em 2009. Ocasião onde fazia apresentações dentro dos vagões junto a Repentistas;
- 4° Encontro de Hip Hop em Pirenopólis, Festival Piri Rap em 2009;
- Seminário Internacional do Programa Cultura Viva em 2010;
- Festival Elemento em Movimento promovido pela CUFA em 2010;
- Mestre de Cerimônia no Festival Hip Hop do Cerrado em 2010;

- Batatha de Breaking Underground Session e District Battle em 2010;
- Brasília Outros 50 em 2010;
- Dia da Consciência Negra em Samambaia 2009 e 2010;
- Festival Criadoras em 2010;
- Aniversário de 20 anos de Samambaia em 2010;
- Feira do Hip Hop em 2010;
- Palco Alternativo - Carnaval Samambaia em 2011
- Circuito REConceito em 2011;
- Encontro de Grafite de Santa Maria em 2011;
- Circuito Cultural da Quebradas – Circula Cultura em 2011;
- Festival FloreSendoIdéias em 2011 – Recife, Pernambuco;
- Teia Centro Oeste em 2011 – Cuiabá, Mato Grosso;

- Festival 100%DF em 2012;
- 1º Encontro Cultural de Samambaia em 2012;
- Festival Hip Hop Contra o Crack – Gravação do DVD, em 2012;
- Quinta Cultural da UCB em 2012;
- Projeto Rap Hour 2012;
- 2º Encontro Cultural em Votuporanga – SP em 2012;
- Open MIC em 2012;
- 3º Colocado no Prêmio Tom Jobim de Música em 2012;
- Campanha O que você tem haver com a corrupção – MPDFT nas escolas em 2013;
- Hip Hop Direitos Humanos em 2013;
- Poerão do Rock em 2013.

- Festival Arte Livre na Seca
- Festival Música no Parque
- 5º Encontro Cultural do Hip Hop
- Temporadas do Parque
- 3ª Bienal de Poesia do B
- Noite Cultural no Congresso Latino Americano de Compreensão Leitora;
- Feira do Livro de Brasília – 2013
- Circuito Canto dos Mártires;
- Lançamento de livro e pocket show na II Bienal Brasil do Livro e da Leitura;
- Arena Hip Hop em Ribeirão Preto-SP;
- Pocket show na Teia Nacional dos Pontos de Cultura em Natal-RN;

- Sesc Expressões Urbanas 2015
- Festival Brasília Periferia 2015
- Festival Formosa Arte - GO
- Festival Fuleragem 4ª Edição
- 1º Seminário da Cultura Hip Hop em Formosa - GO
- FestNegra 2015

FOTOGRAFIAS









Mapa de Palco


"Enquanto houver opressão e violência, haverá luta e resistência"

Nenhum comentário: