14 janeiro 2008

História e Militância




Trabalho artístico e social realizado pelo jovem Marcus Dantas, vulgo Markão Natural da Terra. Educador popular que utiliza a música Rap como instrumento de trabalho em oficinas de formação humana e social em escolas, igrejas e organizações em geral.

Dentre as oficinas e seminários, já foram realizadas ações e apresentações musicais nas faculdades Dulcina de Moraes, Projeção, JK e UNB, em aproximadamente 40 escolas por todo o Distrito Federal e entorno, Pastoral da juventude e grupos de jovens paroquiais.

Artisticamente já se apresentou em diversos e distintos espaços, pois une a musicalidade a uma militância, assim apresentou-se na Feira de economia solidária de 2006, Grito dos excluídos em 2004 e 2005, 1º, 2º e 3º festival de arte e cultura de Samambaia, 4º festival de música popular de Samambaia, onde recebe prêmio de originalidade e melhor letra com a música “O azul de uma caneta”, Coral Ação criança na Sala Villa Lobos em 2007, Encontro de formação Hip Hop Educação Cidadã nas 3 edições, 1º Fórum de juventude do Distrito Federal, Caminhada Mariana, Sarau Movimento Educacionista, Sarau Complexo, Câmara Perto de você – Programa da Câmara legislativa, Festival Rap Popular Brasileiro, onde garante a 2ª colocação dentre 38 grupos inscritos.

Já cantou ao lado de artistas internacionais como as argentinas Actitude Maria Martha no Fórum social mundial realizado em Belém, e posteriormente em Brasília no CCBB, e os espanhóis Violadores del verso em 2008, e se apresentou em vários estados como São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraíba, onde foi apresentador de um programa de Rap e Belém do Pará.

O rapper atua como educador popular na Associação Viver, da Cidade Estrutural, Rede de educação cidadã, Centro de formação em economia solidária, além de ser articulador do Coletivo ArtSam e Rede DF – Entorno de Hip Hop.

Enfim, Marcus prepara-se para o lançamento de seu primeiro CD intitulado “Dia e noite. Dia açoite. Noite fria”, além de CD virtual com poesias intitulado a “Vida em canção”.

2 comentários:

Rodrigo disse...

blog filé estarei sempre visitando

Élton disse...

Aí Marcus Aborígene,
Paz,saúde e sucesso nessa militância. Para muitos isso parece besteira, mas nós sabemos o valor de interferir na realidade, tomar nas mãos a rédea da nossa própria história...